PROCISSÃO SENHOR DOS PASSOS EM FLORIANÓPOLIS REUNE MAIS DE 70 MIL FIÉIS

Mais de 70 mil fiéis partIciparam neste final de semana da 252ª Procissão do Senhor dos Passos, uma das maiores e mais tradicionais comemorações religiosas em Santa Catarina e com repercussão nacional.. O governador Eduardo Pinho Moreira e o prefeito Gean Loureiro acompanharam a procissão deste domingo, conduzindo uma das hastes do Palio – espécie de cobertura que identifica o Bispo da arquidiocese.

“Na grandiosidade de uma celebração como esta, fica valorizada a importância da fé, que une as pessoas e reforça valores e princípios para a construção de uma sociedade mais justa e humana”, destacou Moreira, que complementou: “Vivemos momentos em que cresce a importância da religião, independente de credo, como força orientadora de uma convivência entre irmãos.”

Partindo da Catedral Metropolitana a imagem do Senhor dos Passos percorreu ruas centrais de Florianópolis e, de volta à frente da Catedral, encontrou a imagem de Nossa Senhora das Dores. O momento foi marcado pela pregação do arcebispo Dom Orlando Brandes, da arquidiocese de Aparecida, em São Paulo. Como tema central do sermão, o religioso orientou que o amor de Jesus deve inspirar o povo em qualquer situação. “A falta de paz no mundo não é só por falta de Justiça, mas por falta de amor. Quem não é amado é triste, é agressivo, ciumento, possessivo, é infeliz”, pregou.Na sequência, as imagens seguiram juntas até a Capela Menino Deus, do Hospital de Caridade. Na calçada, dona Claudete Gerb não conteve as lágrimas ao olhar para as imagens. Estava emocionada porque o marido, que sempre a acompanhava na Procissão, faleceu há quatro meses. “Estaríamos juntos hoje, como sempre fazíamos. É um momento de muita emoção e de vir pedir a Nossa Senhora e ao Senhor dos Passos, paz e saúde pra toda a minha família”, disse a devota.Como último ato da procissão, na chegada das imagens à Capela Menino Deus, o arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, fez a benção final.

A tradição de fé e devoção começou em 1766, dois anos depois de uma embarcação com destino à cidade de Rio Grande (RS) ter atracado na Ilha do Desterro trazendo a imagem baiana de Senhor Jesus dos Passos. A vinda da escultura que retrata o sofrimento de Jesus Cristo crucificado se tornou símbolo de devoção. Depois de pelo menos três tentativas frustradas de levar a imagem ao destino final, a interpretação foi de que a vontade divina era de que a imagem permanecesse em Florianópolis. Hoje, a Procissão do Senhor dos Passos é Patrimônio Cultural Imaterial de Santa Catarina.

(Fonte/fotos: SECOM SC)

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome