ÁGUA, ESGOTO E LIXO ZERO: FLORIANÓPOLIS RECEBE ESPECIALISTAS MUNDIAIS

O Congresso Catarinense de Saneamento (Concasan), que chega à segunda edição como um dos principais eventos da área no Brasil, transforma Florianópolis na capital brasileira do saneamento e no principal palco de debate de temas ligados à água e ao esgoto.

O encontro começa amanhã e vai até sexta-feira, no Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, em Canasvieiras, e terá a presença de nomes fundamentais da cena mundial em pesquisa e implementação de projetos do setor e em desenvolvimento sustentável. A abertura solene será realizada a partir de 14h desta quarta-feira e terá a presença do governador Eduardo Pinho Moreira.

A programação conta com especialistas da Dinamarca, Estados Unidos, Inglaterra e Portugal, além de pesquisadores considerados referência no Brasil. Eles debaterão ideias e ações práticas em torno do tema “Como Serão as Cidades do Amanhã?”.

Na abertura, a portuguesa Sofia Cordeiro, do Gabinete Municipal de Meio Ambiente da cidade de Lisboa, apresenta os princípios para as Water Wise Cities – Cidades Conscientes na Gestão da Água. Responsável pela implementação do programa da International Water Association (IWA) na capital portuguesa, Sofia compartilhará as ações que a cidade europeia está desenvolvendo para tornar a gestão da água sustentável.

A questão do lixo também ganha atenção com uma plenária exclusiva sobre Lixo Zero, no encerramento, dia 8. “Toda a cidade enfrenta problemas relacionados à gestão de resíduos. Já existem iniciativas para reduzir esse volume, afinal, quanto mais se gera lixo, maior o problema para fazer o manejo. Esse é o ponto comum e urgente em muitas cidades catarinenses e o desafio é como se transformar e seguir diretrizes para que nossas as cidades tenham um parâmetro Lixo Zero”, diz o engenheiro sanitarista e ambiental Lucas Arruda, um dos organizadores do Congresso.

ENCONTRO TÉCNICO

Paralelo ao Congresso será realizado o 9º Encontro Técnico da Casan, com trabalhos desenvolvidos pelos funcionários da Companhia Catarinense e da Corsan, Sabesp, Sanepar e outras empresas do setor. Haverá espaço também para apresentação de palestras dos expositores e apoiadores da Feira de Saneamento, que ocorre em paralelo e terá mais de 15 estandes.

No total, serão mais de 30 horas de compartilhamento de experiências sobre saneamento, focado em tratamento de água e de esgoto, regulação, gestão, gerenciamento de recursos hídricos, eficiência energética, meio ambiente e novas oportunidades.

“Duas ou três décadas atrás, tinha-se a impressão de que problemas relacionados à água e saúde ocorriam em locais remotos, como o Centro da África ou o interior do Nordeste. Hoje percebemos que as maiores adversidades estão nas cidades, em especial nas maiores”, reforça o engenheiro químico Alexandre Trevisan, também da comissão organizadora.
O Concasan é liderado pela CASAN e uma organização conjunta com o SENGE-SC – Sindicato dos Engenheiros no Estado de Santa Catarina e CASAN. Tem apoio da Prefeitura Municipal da Florianópolis, Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES), CREA-SC, Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), FIESC, Instituto Lixo Zero Brasil e Cosatel.

ENFLUENTES TRATADOS E CONTROLE DA POLUIÇÃO

Entre os destaques da programação está a participação da engenheira norte-americana Sandy Scott-Roberts. Ela é responsável pela ampliação do Ground Water Replanishment System (GWRS), o Sistema de Recarga de Águas Subterrâneas de Orange County, Califórnia – EUA. O GWRS é um caso de sucesso de recuperação de um aquífero costeiro, que abastece milhões de pessoas, com a utilização de esgotos tratados. Lá, o esgoto tratado das cidades é reintroduzido no solo para melhorar a qualidade da água, além de permitir que esse efluente seja disponibilizado como água potável para a população.

Também é destaque a palestra do principal autor brasileiro sobre Tratamento de Esgotos, Marcos Von Sperling. O professor Carlos Arias, da Universidade de Aarhus (Dinamarca) também participa apresentando suas experiências em diversos projetos e pesquisas ao redor do mundo para controle da poluição com o tratamento dos esgotos.

A última crise hídrica em São Paulo mostrou que ações para o controle de perdas dos sistemas de água foram fundamentais para que os danos não fossem maiores. Nesse sentido, ainda há muito a evoluir no Brasil em relação à melhoria de eficiência dos sistemas instalados. Na quinta, dia 7, uma plenária especial assinada pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES) terá o consultor Mario Baggio, ex-diretor da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e o engenheiro pernambucano Adalberto Cavacanti (Consultor do Banco Mundial) irão debater as estratégias para melhoria dos indicadores nacionais evitando o desperdício da água produzida e reduzindo a necessidade de busca por novos mananciais.

LIXO ZERO

Tema urgente em todo mundo, a questão do lixo também será discutida no Concasan na última plenária, assinada pelo Instituto Lixo Zero. A ideia é tratar da construção do conceito de uma cidade sustentável na gestão dos resíduos. O tema será conduzido pelo fundador da Zero Waste International Alliance, Rick Anthony (EUA). Com mais de 40 anos de experiência em esforços ambientais, Anthony irá propor ações para aprimorar e expandir a sustentabilidade de nossas cidades. Também participa Mal Williams (Reino Unido), ativista em todo mundo e atual diretor executivo do The Zero Waste International Trust.

O Concasan também será o palco da plenária final da 2ª Conferência Municipal de Saneamento de Florianópolis, que vem sendo realizada ao longo dos últimos meses. Durante o Congresso ocorre o encerramento da Conferência, quando serão votadas as proposições para melhorias nas políticas municipais de saneamento. Um momento de interação entre a visão técnica e a expectativa da sociedade em relação a este importante serviço.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome