SÃO JOSÉ MANTÉM PROJETO PIONEIRO EM VIDEOMONITORAMENTO

Num trabalho de gestão integrada, a Prefeitura de São José mantém, atualmente, um projeto de inovação tecnológica que é, pioneiro em Santa Catarina, em relação à Segurança Pública.

Com a participação das Polícias Militar e Civil, Associações Empresarial da Região Metropolitana (AEMFLO) e  Comunitárias além de Grupos de Vizinhos Solidários, São José, mantém em operação, 24 horas por dia, uma Central de Videomonitoramento para garantir a segurança da população em todos os bairros da cidade.

E, na última quinta-feira, durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, a prefeita Adeliana Dal Pont assinou um termo de cooperação técnica com a AEMFLO que vai aumentar o número de câmeras espalhadas pela cidade. Hoje, em São Jose, estão operando 250 câmeras de vídeo.

SEGURANÇA INTEGRADA

A prefeita ressaltou que a “segurança é um dever de todos nós, por isso a participação comunitária é fundamental para contribuir com o trabalho que estamos desenvolvendo na cidade. Precisamos estar unidos cada vez mais e este é o nosso objetivo, trazer a comunidade para as reuniões do Gabinete de Gestão Integrada e mostrar o que temos feito e o que ainda pode ser melhorado na área da segurança“.

Adeliana Dal Pont, disse mais: “desde o início da nossa gestão conseguimos fazer algo inédito no estado, que foi unir as forças de segurança do município para fortalecer as políticas públicas voltadas à proteção da comunidade e hoje, temos o melhor serviço de Videomonitoramento de Santa Catarina.

Nossa Central de Operações Integradas funciona 24 horas e é uma ferramenta importante que tem ajudado as forças policiais a elucidar crimes de diversas naturezas”.

IMAGENS COMPARTILHADAS

Entre as tecnologias usadas pelo Município está à integração de câmeras privadas à Central de Operações Integradas (COI) por meio de um Termo de Cooperação Técnica com a Aemflo-CDL São José. Pelo acordo, a Associação vai disponibilizar a infraestrutura tecnológica para viabilizar o acesso dos operadores da COI às imagens a fim de intensificar o trabalho de observação das áreas externas da cidade, que já conta atualmente com 250 câmeras espalhadas pelos bairros.

A secretária de Segurança de São José, Andrea Pacheco, reforçou que a integração das câmeras privadas ao sistema será mais um recurso que fortalecerá o trabalho do COI.
Nossa intenção, observou a secretária, é que, “por meio desta cooperação, as empresas que tenham câmeras voltadas para a rua disponibilizem suas imagens para a COI, que usará este recurso para fortalecer ainda mais a segurança, identificar criminosos e ocorrências.

Este é um passo importante, pois esta integração vai trazer muito mais informações para segurança e, com isso, pretendemos coibir e prevenir ainda mais a criminalidade em São José”.

A iniciativa faz parte do projeto da Aemflo/CDL São José que busca adesão de mais empresas para instalação de câmaras e disponibilização das imagens ao COI. “Estamos muito felizes em participar da implantação deste sistema em São José, pois a partir do momento que as indústrias, empresas, lojas passam a ser monitoradas, nós consumidores e moradores também passamos a estar mais protegidos,” explicou a presidente da Aemflo/CDL São José, Nadir Koerich, ao demonstrar o orgulho da instituição em poder contribuir com a segurança dos cidadãos.

POPULACÃO:”OS OLHOS DA POLICIA”

A integração das câmeras privadas acontecerá por meio da tecnologia desenvolvida pelo Grupo Khronos. “Trabalhamos há muito tempo em um projeto que se tornasse colaborativo e fizesse com que a sociedade participasse sendo os olhos da polícia nos mais diversos locais. Por meio deste sistema essa realidade já é possível. Podemos apontar e levar, por meio das imagens, as inúmeras situações a serem solucionadas pela polícia”, comentou o presidente do grupo, Sionésio Corrêa de Souza.

O aplicativo mobile para segurança colaborativa, Be ON, também foi apresentado durante a reunião. O app, que já está disponível para a utilização gratuita de todos os moradores da cidade, permite o envio e o recebimento de alertas sobre segurança pública pelo smartphone.

Por meio desta tecnologia, o usuário pode trocar notificações com quem estiver em um raio de um quilômetro, sinalizar situações suspeitas para que pessoas próximas possam ser avisadas, monitorar pontos de interesse, criar grupos entre outras funcionalidades importantes visando sempre à proteção dos indivíduos.

“A ideia é criar uma rede de segurança para evitar assaltos, roubos, identificar atitudes suspeitas de indivíduos, entre outras ocorrências e possibilitar que os órgãos de segurança, bem como, toda a sociedade tenham mais uma ferramenta para agir preventivamente diante de situações que ponham em risco à proteção de familiares e amigos”, explicou o diretor da Squadra, que desenvolveu o Be On, Gustavo Caleffi.

ATUAÇÃO POLICIAL MAIS EFICIENTE E PRESENTE

O comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Eduardo Gonçalves da Silva explicou a atuação do efetivo nos projetos na área de prevenção ao crime e lembrou da importância da participação da comunidade no sucesso destas ações.

A parceria com a  comunidade, por meio das Associações Comunitárias do Município de São José e grupos de vizinhos solidários, simboliza a representação do cidadão no GGI-M.

Nas reuniões, os cidadãos podem conhecer melhor os projetos de segurança que estão em andamento na cidade e construir uma relação mais próxima com as polícias corroborando para que a segurança se torne cada vez mais efetiva e atingia maiores níveis de proteção das pessoas nas comunidades.

“Hoje trabalhamos em projetos na área de prevenção de crimes em nível estadual, como a Rede de Vizinhos, que tem apresentado êxito no fornecimento de informações para auxiliar o efetivo nas ocorrências; a Rede de Segurança Escolar, que funciona em contato com a direção dos colégios visando sempre melhorar a segurança dentro e fora destes ambientes; e a Rede Catarina, que presta a proteção às mulheres vítimas de violência. Ou seja, é uma grande força-tarefa possível de ser realizada, pois contamos com a contribuição da comunidade”, informa o comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Eduardo Gonçalves da Silva.

O delegado Regional de São José, Daniel Regis, lembrou que a delegacia tem intensificado o trabalho de repressão ao tráfico de entorpecentes e crimes contra o patrimônio, como furtos e roubos.

O comandante da Guarda Municipal, Marcelo Luiz de Souza, também aproveitou a presença da comunidade para destacar algumas ações da instituição, como o policiamento comunitário; o projeto Guarda no Bairro; o trabalho de fiscalização e orientação no trânsito; operações de recuperação de veículos; prisões e ocorrências de flagrantes; e atuação integrada com a Polícia Civil e Polícia Militar na Operação Choque de Ordem

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome