COMPOSTAGEM E LIXO ZERO: FLORIANÓPOLIS OPERA O MELHOR SISTEMA DO BRASIL

Com padrões acima da média nacional, o sistema de recuperação de resíduos sólidos de Florianópolis é um dos mais abrangentes em todo o Brasil.
Além de reciclar 6% de tudo que é coletado pela Comcap, a Capital conta ainda com iniciativas comunitárias e particulares de compostagem.
Esse modelo de boas práticas em Lixo Zero, foi apresentado nesta semana a uma comitiva de deputados estaduais de cinco estados brasileiros pelo presidente da Comcap, Marcio Alves.

O grupo de parlamentares de Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Pará e Santa Catarina, liderada pelo deputado catarinense Kennedy Nunes, presidente da União Nacional dos Legisladores e dos Legislativos Estaduais (Unale), percorreu o Centro de Valorização de Resíduos da Comcap, no Itacorubi.

“Só a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Comcap, tem condição de mostrar num único local o ciclo completo dos resíduos, do seco ao orgânico, começando pela educação ambiental”, apontou Márcio Alves. No centro operacional, são processadas diariamente 10 toneladas de resíduos orgânicos, entre restos de alimentos e podas, em parceria com a Associação Orgânica e Universidade Federal de Santa Catarina.

CAMINHOS DA COMPOSTAGEM

Os resíduos orgânicos são separados na fonte, em grandes geradores como condomínios e restaurantes, e ali no CVR são compostados junto com os resíduos de podas públicas que, triturados, se tornam cepilho. O cepilho e o composto também são fornecidos pela Comcap para pátios comunitários e hortas urbanas em parques, escolas e centros de saúde.

“Os deputados ficaram impressionados com a autossuficiência da Comcap. Só nós temos o ciclo completo dos resíduos recicláveis secos e orgânicos e atendemos todas as iniciativas de agricultura urbana com os resíduos verdes transformados em cepilho”, avaliou o presidente Márcio Alves.

AVANÇOS EM FLORIANÓPOLIS

De acordo com o presidente da Unale, Kennedy Nunes, a visita encerrou uma certificação internacional que incluiu a Califórnia, nos Estados Unidos, a partir de onde foi difundido o conceito Lixo Zero por meio de legislação. “Florianópolis já tem a meta Lixo Zero para 2030, então fizemos questão de trazer os deputados para mostrar que é possível fazer também no Brasil. Foi muito legal terminar a certificação aqui e ver que a Prefeitura de Florianópolis tem essa visão. Vamos pautar esse assunto nos legislativos estaduais para chegar aos resultados que a Comcap já está chegando”, disse o deputado estadual catarinense.

AS OPERAÇÕES

*Ecoponto*: para entrega voluntária de resíduos (saiba como funciona clicando aqui http://www.pmf.sc.gov.br/sistemas/comcap/ecopontos.php).

*ACMR*, em galpão cedido pela Comcap, opera a Associação de Coletores de Materiais Recicláveis. É a maior das 14 associações na Grande Florianópolis, para as quais a municipalidade doa 12 mil toneladas/ano de materiais recicláveis gerando renda de R$ 4,5 milhões em benefício de 842 pessoas.

*Estação de Transbordo* O resíduo que o cidadão não separa vira rejeito e segue, em carretas da Proactiva , para o aterro sanitário em Biguaçu.

*Museu do Lixo* Em torno de 7 mil pessoas por ano fazem o circuito de visitação monitorada pela equipe de educação ambiental da Comcap.

*Pátio de compostagem* operado pela Comcap em parceria com Associação Orgânica e Ufsc. Em 2018, foram processadas 616 toneladas de restos de alimentos.

*Picador de podas* Durante o ano de 2018, foram processadas 2,8 mil toneladas de resíduos de podas oriundos dos serviços de limpeza pública ou por entrega voluntária

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome