ACESSO AO AEROPORTO HERCÍLIO LUZ: MORADORES SE REVOLTAM COM OS VALORES DE DESAPROPRIAÇÕES

Para encontrar uma solução prática e urgente para os moradores que se sentem prejudicados pelas desapropriações de imóveis junto ao traçado do acesso viário ao novo terminal do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, representantes das comunidades e  vereadores da Capital estiveram reunidos com os deputados que compõem a Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Assembléia Legislativa.

De acordo com o deputado João Amin (PP), que preside o colegiado, a data de uma audiência pública será proposta pelo vereador Maikon Costa que encabeça a mobilização em defesa dos moradores do Carianos, do Trevo da Seta e da Costeira do Pirajubaé.

Além de críticas ao governo do Estado que não mandou qualquer representante na reunião, há revolta dos moradores que não aceitam os valores que o governo ofereceu pelos terrenos: R$ 103 o metro quadrado enquanto o total apontado por peritos indicou R$ 550.

O vereador Maikon Costa explicou que procurou a Alesc pelo fato do Parlamento ser o órgão que deve fiscalizar o Executivo estadual. “Desde o primeiro traçado [da obra] são quase 20 anos de discussões e muitas famílias estão aí aflitas sem saber o que vai ser da sua propriedade.

A obra, que terá quatro pistas e vai receber 70% do fluxo de veículos que passam pela região Sul de Florianópolis, teve de acordo com Amin, uma série de problemas com os prazos, com o projeto e hoje surgiu um novo e preocupante fato: a Secretaria de Infraestrutura não publicou o edital para os trabalhos de iluminação do acesso.

“Tudo tem que ser levado com o máximo de transparência. Há pessoas que moram lá há 30, 40 anos, que vêm se sentindo injustiçadas com a diferenciação de valores.” destacou o parlamentar.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome