PRESIDENTE DO PODER JUDICIÁRIO DESTACA PUJANÇA DA INDÚSTRIA CATARINENSE NO MUNDO

O desembargador Ricardo Roesler destacou que a FIESC é exemplo de trabalho não só no Brasil mas, no mundo

Ao participar hoje, em Florianópolis, da palestra do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão dentro das comemorações dos 70 anos da Federação das Indústrias de Santa Catarina, o  desembargador Ricardo Roesler, presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina disse que o Judiciário “vem prestigiar e homenagear a indústria catarinense através da Fiesc, que é um exemplo de federação não só no Brasil mas no mundo. Isso acontece pela organização e competência dos seus administradores, que representam muito bem a pujança da indústria catarinense, que é diferenciada”.

O chefe do Poder Judiciário catarinense lembrou ainda  que “eu tenho participado ativamente com base na proposição da nossa administração do Tribunal de Justiça, que é a integração, a informação e a inovação, porque eu tenho muito a aprender com eles. Com base nesse diálogo, eu também quero demonstrar que o Poder Judiciário catarinense não é uma despesa mas, sim, um investimento, porque também é um exemplo no Brasil”, afirmou o presidente do TJSC.

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, destacou os poucos investimentos em infraestrutura do Governo Federal no Estado. Segundo os dados apresentados, Santa Catarina contribuiu com R$ 66,3 bilhões em tributos federais em 2019, mas só recebeu do orçamento da União R$ 6,7 bilhões. Em função disso, o dirigente da Fiesc destacou a necessidade das obras de ampliação da capacidade e duplicação das rodovias BR-163, BR-280 e BR 470. De um total de 209,2 quilômetros que deveriam ter sido entregues até 2018, o Governo Federal finalizou apenas 14,5 quilômetros.

Para o vice-presidente da República, que falou dos desafios nas áreas do meio ambiente, da educação, da saúde, da segurança pública entre outros temas, o caminho para resolver o problema de infraestrutura pode ser a concessão das rodovias. “Quanto aos problemas de infraestrutura e logística aqui apresentados no Estado de Santa Catarina, nós talvez tenhamos que buscar a saída por meio das concessões”, destacou o general Mourão.

Após a palestra no auditório da Fiesc, o vice-presidente da República almoçou na capital catarinense e seguiu para Brasília (DF).

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome