OPERAÇÃO CHABÚ: TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL INOCENTA GEAN LOUREIRO

Em tom de desabafo e emocionado, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro divulgou nota no final da tarde, sobre a decisão do Tribunal Regional Federal de não aceitar a denúncia arrolada pela Operação Chabú da Polícia Federal no ano passado.

Segundo Gean “chega ao fim um pesadelo que já durava um ano pois, há exatamente doze meses, eu e minha família fomos acordados na madrugada, fui tirado de casa e afastado do cargo de prefeito por, supostamente, manter uma sala secreta na prefeitura e receber informações sigilosas de contraespionagem sobre operações da polícia federal”.

Ao longo desse periodo, diz o prefeito, a Polícia Federal pode comprovar que não havia nenhuma sala secreta em meu gabinete, e que tampouco recebi qualquer informação secreta.Impossível esquecer o apoio e a força que recebi desde o primeiro minuto. Foram milhares de mensagens de confiança vindas desde amigos queridos até de pessoas que nunca havia encontrado antes. A todos vocês, muito obrigado por acreditarem em mim, na minha palavra. Podemos não nos conhecer ainda, mas jamais esquecerei seu gesto”.

Lembrou Gean Loureiro que algumas poucas pessoas, com interesses políticos, atacaram muito durante esses meses, a ele e sua família. O que me importa, hoje, é poder dizer que a justiça foi feita, comigo e com Florianópolis. Porque isso tudo também machucou a nossa cidade. Mas o mundo gira, e a justiça sempre chega. Depois de uma tempestade sempre chega o sol.

Acrescentando que continua acreditando, ainda mais, nas instituições, na Polícia Federal, Ministério Público, Poder Judiciário e, principalmente, na Justiça, o prefeito lembrou que quando se faz as coisas certas, Deus está sempre do seu lado.

Ao encerrar a nota, Gean Loureiro lembrou que “quando fazemos as coisas certas, Deus está sempre do nosso lado. Vocês acreditaram em mim. E aqui está a prova, a decisão do Tribunal. Eu lhes devia isso. Já tirei quatro cópias dessa decisão, vou colocar num envelope e entregar a cada uma de minhas filhas. E pedir desculpas a elas, por terem que enfrentar tudo isso que aconteceu. Vou dizer a elas que hoje, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o mesmo que julga casos tão importantes como a Lava Jato, decidiu não aceitar a denúncia contra mim. O pai delas é inocente”.

- Parceiro -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, informe seu nome